Segunda-feira, 14 de Junho de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Fair

Cláudio Humberto Aneel multa as vítimas pelo apagão no Amapá

Compartilhe esta notícia:

O homem dos bigodes.

Foto: Enio
O homem dos bigodes. (Foto: Enio)

A agência reguladora Aneel aplicou multa de R$5,7 milhões na população por causa do apagão no Amapá em novembro. O multado, oficialmente, é o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), mas, como se trata de órgão público, seus burocratas são protegidos por uma legislação absurda que transfere à população, que a rigor são as vítimas, o pagamento da multa. Até impostos pagos pela população amapaense, que ficou no escuro, serão usados para bancar a multa milionária.

Prazo fatal

Encerra-se nesta segunda-feira (17) o prazo para que a ONS recorra da multa imposta pela agência reguladora Aneel.

Nenhuma tensão

Não há tensão entre burocratas da ONS: se o recurso for negado pelos colegas da Aneel, a conta será paga pelos contribuintes otários.

Nem um pedacinho?

Recebendo salários três vezes maiores que o limite constitucional do STF, os dirigentes da ONS bem que poderiam ajudar a pagar a multa.

Como marajás

O diretor-geral ONS recebe R$90 mil por mês, mais que o dobro de Bolsonaro, e seus demais diretores embolsam R$65 mil.

Exportações para UE são as maiores desde 2014

As exportações brasileiras para União Europeia estão no maior patamar dos últimos sete anos e mostram, além da recuperação econômica, que as críticas políticas são tão somente isso e não contaminam as relações comerciais. Segundo o Siscomex, o Brasil exportou US$3,5 bilhões para países membros do bloco europeu apenas no mês de abril, aumento de 37% em relação ao mesmo mês de 2020 e melhor resultado desde 2014.

Melhor que antes

No acumulado de janeiro a abril, foram US$ 10,8 bilhões exportados para os europeus, resultado melhor que o obtido em 2019, antes da pandemia

Apenas palavras

Emmanuel Macron e Jair Bolsonaro trocaram duras críticas nos últimos dois anos, mas as exportações para França dispararam 21,5% este ano.

Cliente importante

Maior economia do bloco, a Alemanha segue o caminho da França. As exportações subiram 33,5 % este ano e voltaram ao patamar pré-covid.

Paciência é a chave

A chave do depoimento de Pazuello será a paciência, e esta nunca esteve entre suas principais características. O governo aposta que a estratégia dos senadores de oposição será tentar tirar o general do sério.

550 dias na gaveta

Manifesto das bancadas do Podemos na Câmara e no Senado cobra a votação de propostas que restabelecem a prisão após condenação em segunda instância. Estão há 550 dias na gaveta.

Explica aí

Após o embaixador da China negar qualquer crise política e diplomática com o Brasil, a direção do Butantan precisa explicar, afinal, se questões contratuais com o laboratório privado Sinovac provocam o atraso do IFA.

Aécio com a China

Presidente da Comissão das Relações Exteriores da Câmara, o tucano Aécio Neves (MG) garantiu que tem a mesma posição do governo chinês e defende “flexibilizar” patentes a Organização Mundial do Comércio.

Troféu triste

O recuo do STF sobre prisão após a 2ª instância, beneficiando Lula, fez do Brasil o único país, entre os 194 da Organização das Nações Unidas (ONU), que não admite a prisão após sentença em segunda instância.

Trama contra o Sol

A “agência reguladora” de energia elétrica Aneel, que mais parece um sindicato dos distribuidores de energia, altera as próprias decisões para encarecer a energia solar. A trama é para impedir que as contas de luz reduzam até 90% para quem investe em energia distribuída no Brasil.

Mais moderno

O senador Wellington Fagundes (PL-MT) foi mais um a comemorar os leilões de concessão de aeroportos. A avaliação do parlamentar é que os novos contratos vão melhorar a infraestrutura e tornar o serviço dinâmico

Pandemia gera lucro

Se a maioria das categorias funcionais está sofrendo com a pandemia, o mesmo não se viu no setor de segurança privada. Com contratações de hospitais, farmacêuticas e hipermercados, o faturamento subiu até 5%.

Pensando bem…

…se a CPI ganha mais atenção que a pandemia, a notícia deve ser boa.

PODER SEM PUDOR
O homem dos bigodes

Derrotado na disputa pelo governo do Ceará, em 1990, o ex-ministro Paulo Lustosa resolveu percorrer o Estado agradecendo os votos. Nos cafundós, pelas 3h da madrugada, muito cansado, pediu abrigo na casa de um agricultor. O homem, sonolento, atendeu Lustosa com simpatia, sem saber com quem estava falando. O político não perderia a chance: “Diga-me, moço, em quem vocês votaram para governador?” O homem gritou o para dentro de casa: “Mulher, em quem a gente votou?” Ela devolveu o grito: “Foi naquele moço de bigode, o Lustosa!” O político cofiou os bigodes e se apresentou: “Eu sou o Lustosa e andei a noite inteira para vir aqui agradecer a vocês…” (Com André Brito e Tiago Vasconcelos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cláudio Humberto

Lobby da maconha tenta aprovar em Brasília liberação do plantio
Fatos históricos do dia 19 de maio
Deixe seu comentário
Pode te interessar