Domingo, 26 de maio de 2024

Porto Alegre
Porto Alegre, BR
10°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Mundo Biden avança e empata com Trump na margem de erro em disputa pela Casa Branca, mostra nova sondagem eleitoral

Compartilhe esta notícia:

Pesquisa aponta recuperação do democrata entre os eleitores que o elegeram em 2020. (Foto: AFP)

Uma nova pesquisa do The New York Times e do Siena College mostra que o presidente Joe Biden quase apagou a vantagem inicial de Donald Trump nas pesquisas: agora, eles estão praticamente empatados, com Trump mantendo uma vantagem de 46% a 45%. Os novos números representam uma melhora para Biden em relação ao final de fevereiro, quando Trump tinha uma vantagem mais robusta de 48% a 43%.

O aumento de Biden parece resultar em grande parte de sua melhor posição entre os eleitores democratas tradicionais — ele está conquistando uma parcela maior de eleitores que o apoiaram em 2020 do que há um mês. Naquele momento, Trump havia conseguido conquistar mais seus antigos eleitores do que o presidente — 97% a 83% —, mas essa margem diminuiu. Biden agora está conquistando 89% de seus apoiadores de 2020, em comparação com 94% de Trump.

Os resultados cada vez mais apertados das pesquisas são a mais recente evidência de uma nova disputa em 2024, que vem sendo encarada por ambas as campanhas para ser extremamente acirrada. As duas últimas eleições presidenciais foram decididas por dezenas de milhares de votos em um punhado de estados decisivos, e esta poderá ser igualmente acirrada. Em uma nação tão polarizada, até mesmo a menor das mudanças de apoio pode ser decisiva.

Para além da disputa inflamada, muitos dos seus fundamentos parecem largamente inalterados. A parcela de eleitores que consideram que o país está indo na direção errada continua sendo de 64%, e quase 80% ainda classificam a condição econômica do país como regular ou ruim, incluindo a maioria dos democratas.

E tanto Biden quanto Trump continuam impopulares por razões já conhecidas. A maior parte dos eleitores (69%) acha que o democrata, de 81 anos, está muito velho para ser presidente — Trump, com 78, também será o presidente mais velho da História americana caso seja eleito. Apesar disso, apenas 41% acreditam que o republicano está velho demais. Entre os eleitores com mais de 65 anos, a parcela que considerava Biden muito velho caiu significativamente.

A campanha de Biden, que já começou a fazer propaganda em estados-chave, espera que a possibilidade do magnata voltar à Casa Branca empurre eleitores democratas relutantes de volta à sua típica postura partidária — e há algumas evidências de que isso está ocorrendo.

Latinos e negros

No último mês, o democrata permaneceu estável entre os eleitores brancos, mas aumentou entre os latinos e negros, embora ainda esteja aquém dos níveis tradicionais do apoio democrata. O desempenho entre os eleitores não-brancos é o melhor entre as últimas três pesquisas realizadas desde dezembro.

Biden tem uma performance melhor do que há um mês entre os subúrbios e as mulheres, embora tenha ficado mais fraco entre os homens. Os eleitores mais jovens continuam sendo um ponto fraco persistente, enquanto os eleitores mais velhos são uma fonte de força relativa para o presidente democrata.

Economia e diplomacia

A economia também continua sendo um obstáculo para Biden. Os eleitores jovens estão especialmente ressentidos, com mais de 85% classificando a economia como ruim ou regular. Os eleitores também avaliaram a forma como Trump e Biden lidam com a economia: 64% aprovaram a maneira como o republicano lidou com o problema como presidente e 63% desaprovam o trabalho de Biden sobre o tema no momento.

O atual presidente obteve melhores classificações do que Trump em relação à sua capacidade de unir a nação e ao modo como lidou com as relações raciais e a pandemia. Mas a guerra em Gaza — com uma assimetria na morte de civis do lado palestino — e os dois anos de guerra na Ucrânia garantiu a Trump notas significativamente mais altas em gestão de conflitos no exterior.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Empresas dos Estados Unidos lucram bilhões com a guerra na Faixa de Gaza
A Seta, Domo de Ferro e Viga de Ferro: os sistemas de defesa de Israel para combater o ataque do Irã
https://www.osul.com.br/biden-avanca-e-empata-com-trump-na-margem-de-erro-em-disputa-pela-casa-branca-mostra-nova-sondagem-eleitoral/ Biden avança e empata com Trump na margem de erro em disputa pela Casa Branca, mostra nova sondagem eleitoral 2024-04-14
Deixe seu comentário
Pode te interessar