Segunda-feira, 10 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fair

Cláudio Humberto DPVAT já não consegue enganar Toffoli e o STF

Compartilhe esta notícia:

O noticiário reproduz a alegação de lobistas de que o DPVAT “ajuda os pobres” pagando remédios e assistência hospitalar, e indeniza vítimas de acidentes nos casos de morte ou invalidez. É uma meia verdade com odor de tapeação, logo percebida pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli, que restabeleceu novos valores do seguro obrigatório, até 85% menores. Criado por seguradoras espertas há 46 anos, o DPVAT é hoje apenas um “cartório” privado que fatura R$ 2 bilhões por ano.

Negócio da china

Espertalhões inventaram o seguro obrigatório para garantir faturamento bilionário sem sair do lugar. Nem precisam de vendedores de seguro.

Direito só de pagar

O cidadão recebe o boleto do DPVAT sem nem mesmo saber o nome da seguradora designada por uma “Líder” para tomar seu dinheiro.

Decisão acertada

Enfrentar o poder das seguradoras foi decisão acertada de Bolsonaro. O erro foi fazer parecer retaliação a Luciano Bivar, presidente do PSL.

Pode isso, ministro?

Seguradoras esconderam de Toffoli o fabuloso saldo de R$8,9 bilhões. Houve um tempo no Brasil em que dava cadeia mentir à Justiça.

Especialista em aviação: ‘engano’ no Irã é improvável

Especialista em controle de aéreo acha improvável um “engano” no caso da derrubada do avião ucraniano abatido no Irã. É que antes de o avião decolar, o código do transponder é relacionado ao prefixo da aeronave ou número do voo, tudo fica visível pelo radar. Não há margem para “enganos”. E o avião havia decolado e se distanciava de Teerã, enquanto eventual míssil hostil teria trajetória de aproximação. O avião seguia para deixar o espaço aéreo iraniano quando foi abatido.

Todos sabiam

Antes de decolar, o avião recebe várias autorizações incluindo centros de controle, que no Brasil, por exemplo, estão sob comando militar.

Coisas bem diferentes

“Em princípio, não há como confundir um avião com um míssil”, disse um especialista que não quis se identificar.

Muito difícil

O especialista não descarta, apesar de remota, a possibilidade do erro. “É necessário avaliar o funcionamento do sistema de defesa iraniano”.

Muito bom, mas…

O governador João Doria (PSDB-SP) anunciou liberação de R$1 bilhão no “pacote de melhorias” de escolas públicas estaduais. Mas desse total, R$630 milhões já foram repassados às mais de 5 mil escolas.

Cobrança inconstitucional

O Podemos foi ao STF para tentar derrubar a cobrança de tarifa do cheque especial. O partido quer que a medida, classificada como “absurda” pelo líder Alvaro Dias, seja considerada inconstitucional.

Receio do recesso

O meio jurídico teme que o recesso parlamentar esfrie a discussão da medida provisória que cria o contrato Verde Amarelo, mesmo com a tramitação em regime de urgência na volta de deputados e senadores.

Na hora certa

Donald Trump e o pré-candidato democrata Michael Bloomberg terão vídeo de um minuto no intervalo do SuperBowl, final do campeonato de futebol americano. Segundo a imprensa local, cada um pagou US$ 10 milhões para cortejar audiência estimada em 100 milhões de pessoas.

Melhor que os outros

Vice do Facebook, Andrew Bosworth reconheceu que a rede social foi vital para a eleição de Trump, mas não por intervenção russa. “Ele executou a melhor campanha de anúncios digitais que eu já vi”, disse.

Templo de obviedades

Parece mentira, mas o Brasil precisou aprovar uma lei para determinar que a Marinha seja responsável por licenciar e fiscalizar embarcações de propulsão nuclear. A burocracia óbvia veio antes do submarino.

Vitória importante

A lei que cria a identidade do autista, sancionada esta semana, é uma vitória de quem enfrenta condição, imperceptível na maioria das vezes. A prioridade no atendimento vem para facilitar a vida de muita gente.

Na Santa Casa

O professor e médico especialista em otorrinolaringologia José Eduardo Lutaif Dolci será empossado Diretor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo no próximo dia 7 de fevereiro.

Pensando bem…

… censura é censura, independentemente do que é censurado.

PODER SEM PUDOR

Ele era do contra

Presidente do Corinthians, Vicente Matheus usava as ligações com o poder, no regime militar. Teve um problema com terrenos na praia do Guarujá, em São Paulo, e um oficial da Marinha o ajudou. Ficou tão grato que lhe ofereceu uma festa. Orgulhoso, apresentava-o assim: – Este é o meu amigo almirante! O oficial nada dizia, até que perdeu a paciência: – Eu não sou almirante. Eu sou contra-almirante. O presidente do Corinthians não contou conversa: – Você é contra almirante? Pois também sou. São todos uns vigaristas.

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cláudio Humberto

Atravessadores fazem ministro ignorar Bolsonaro
Cartel de atravessadores conta com ajuda da ANP
Deixe seu comentário
Pode te interessar