Sexta-feira, 21 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Fair

Mundo Manifestantes participam da Marcha das Mulheres em várias partes dos Estados Unidos

A fim de derrubar sistemas de opressão, manifestante participam do movimento Marcha das Mulheres.

Foto: Reprodução
A fim de derrubar sistemas de opressão, manifestante participam do movimento Marcha das Mulheres. (Foto: Reprodução)

Milhares de pessoas foram às ruas em diversas partes dos Estados Unidos neste sábado (18) para a quarta edição da Marcha das Mulheres — manifestação anual que ocorre no país desde o dia seguinte à posse do atual presidente norte-americano, Donald Trump, em janeiro de 2017.

As manifestantes apresentaram temas como mudanças climáticas, igualdade salarial, direitos reprodutivos e imigração. A Marcha das Mulheres deste sábado é a última antes da eleição para presidente dos EUA, que ocorre em novembro. Trump, principal alvo dos primeiros protestos, tentará reeleição.

Em Washington, cidade que mais concentra manifestantes, um grupo pedia a saída de Trump da Presidência. O republicano sofreu impeachment na Câmara e aguarda o desfecho do processo no Senado, cujo julgamento foi aberto oficialmente na quinta-feira — porém, o partido do presidente detém maioria entre os senadores, o que torna difícil uma destituição.

De acordo com a agência Associated Press, os protestos em Washington reuniram bem menos pessoas do que no ano passado, quando 100 mil marcharam próximo à Casa Branca. O tema imigração apareceu entre os mais citados pelas manifestantes.

Mudança necessária

Em Denver, no estado norte-americano do Colorado, organizadores substituíram da Marcha das Mulheres substituíram a passeata por uma série de reuniões em organizações ativistas. Já em Nova York, o evento ocorreu perto da Times Square, em Manhattan.

Manifestantes também criticaram a condução do governo Trump a respeito das mudanças climáticas. Além disso, algumas delas citaram as declarações do presidente sobre a ativista sueca Greta Thunberg — o norte-americano afirmou em dezembro que a jovem “precisa trabalhar seu problema de raiva”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Tiago Leifert e Rodrigo Faro são apontados como substitutos de Huck no Caldeirão
O menor homem do mundo morre no Nepal aos 27 anos
Deixe seu comentário
Pode te interessar