Quinta-feira, 18 de abril de 2024

Porto Alegre

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Saúde Os 3 piores fatores que aceleram o declínio cognitivo, conforme novo estudo da Universidade de Oxford

Compartilhe esta notícia:

Por outro lado, pesquisadores mostraram que estes riscos são modificáveis a longo prazo. (Foto: Reprodução)

De acordo com estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de pessoas com demência vai crescer em mais de 150% até 2050, passando de 55 para 139 milhões de casos. Um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Oxford, na Inglaterra, mostrou que diabetes, a poluição do ar relacionada ao trânsito e a ingestão de álcool são os mais prejudiciais entre 15 fatores de risco modificáveis ​para acelerar a condição.

“Sabemos que uma constelação de regiões do cérebro degenera mais cedo no envelhecimento, e neste novo estudo demonstramos que estas partes específicas do cérebro são mais vulneráveis ​​à diabetes, a poluição – cada vez mais um fator importante na demência – e o álcool, de todos os fatores de risco comuns para a demência”, afirmou Gwenaëlle Douaud, professora adjunta em Oxford que liderou a pesquisa publicada na revista Nature Communications.

A equipe utilizou exames cerebrais de 40.000 participantes do Biobank do Reino Unido com mais de 45 anos. Foram analisados 161 fatores de risco, chamados “modificáveis” – uma vez que podem ser potencialmente alterados ao longo da vida para reduzir o risco de demência, classificados de acordo com o seu impacto para além dos efeitos naturais da idade.

“O que torna este estudo especial é que examinamos a contribuição única de cada fator de risco modificável analisando todos eles em conjunto para avaliar a degeneração resultante deste “ponto fraco” cerebral específico. É com este tipo de abordagem abrangente e holística – e uma vez tidos em conta os efeitos da idade e do sexo – que três surgiram como os mais prejudiciais: a diabetes, a poluição atmosférica e o álcool”, escreveu o professor Anderson Winkler, coautor dos Institutos Nacionais de Saúde e da Universidade do Texas Rio Grande Valley, nos EUA.

Anteriormente, pesquisadores de Oxford descobriram 11 fatores que são associados de forma mais significativa a um risco maior para a demência ao longo dos 14 anos subsequentes. Ainda que três deles (idade, diagnóstico dos pais e ser homem) não possam ser alterados, 8 deles são modificáveis, o que indica a possibilidade de intervir para reduzir o risco.

Confira a lista completa:

* Idade;

* educação;

* histórico e diabetes;

* histórico (ou situação atual) de depressão

* histórico de AVC;

* os pais terem demência;

* classe socioeconômica mais baixa;

* pressão alta;

* colesterol alto;

* viver sozinho e

* ser homem.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Ministério da Saúde começa a distribuir nesta segunda-feira novo lote de vacinas contra a dengue no Brasil
Saiba se o ácido hialurônico é tão eficaz quanto afirmam
https://www.osul.com.br/os-3-piores-fatores-que-aceleram-o-declinio-cognitivo-segundo-novo-estudo-da-universidade-de-oxford/ Os 3 piores fatores que aceleram o declínio cognitivo, conforme novo estudo da Universidade de Oxford 2024-03-31
Deixe seu comentário
Pode te interessar