Segunda-feira, 13 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fair

Rio Grande do Sul Prefeito de Rio Pardo é preso por suspeita de fraude que causou prejuízo de R$ 15 milhões em recursos da saúde

Compartilhe esta notícia:

O alvo da investigação é o contrato para administração da área da saúde na cidade

Foto: MP/Divulgação
Alvo da investigação é o contrato para administração da área da saúde da cidade. (Foto: MP/Divulgação)

Uma operação conjunta envolvendo Polícia Federal, Controladoria-Geral da União, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público Federal e Ministério Público do Rio Grande do Sul cumpriu, na manhã desta quarta-feira (27), mandados de prisão no município de Rio Pardo, no Vale do Rio Pardo.

Entre os presos está o prefeito Rafael Barros (PSDB), que, por determinação judicial, teve ainda o mandato suspenso por 180 dias. Outras 14 pessoas foram detidas.

A Força-Tarefa cumpriu ainda 129 medidas judiciais em investigação que apura crimes de fraude à licitação, peculato, corrupção passiva, organização criminosa, ocultação de bens, crime de responsabilidade e desobediência. O prejuízo estimado que está sob suspeita, até o momento, é de R$ 15 milhões em recursos da saúde repassados pela União e pelo Estado do Rio Grande do Sul a uma Organização Social.

A deflagração da Operação Camilo ocorreu nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e no Rio de Janeiro, com o cumprimento de 61 mandados de busca e apreensão, 15 de prisão temporária, além de medidas judiciais de arresto/sequestro de bens móveis e imóveis, bloqueio de valores depositados em contas dos investigados e de empresas e afastamento cautelar de funções exercidas por servidores públicos municipais. As ordens judiciais foram expedidas pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) e pela Justiça Estadual de Rio Pardo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão em inquérito do Supremo sobre fake news
Roberto Jefferson é alvo de operação da Polícia Federal contra fake news e ofensas ao Supremo
Deixe seu comentário
Pode te interessar