Sábado, 29 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Fair

Colunistas Um gaúcho no Ministério da Justiça

Serraglio (Foto: Reprodução)

A indicação do deputado federal Osmar Serraglio, do PMDB, para o Ministério da Justiça, acabou contentando um espectro tão amplo, que inclui desde as bancadas do PMDB e do PSDB, até a Bancada ruralista, da qual o deputado vinha sendo um dos protagonistas na defesa de propostas de interesse do grupo.

Deputado há cinco mandatos, Serraglio ganhou notoriedade como relator da CPI dos Correios, que foi o embrião da CPI do petrolão. Eleito pelo Paraná, o novo ministro é gaúcho, nascido em Erechim.

Rompimento invisível

O deputado Fabio Ramalho, do PMDB, vice-presidente da Câmara, promoveu ontem um movimento isolado, anunciando o rompimento com o governo, depois da indicação de Serraglio. Ele defendia a indicação de um mineiro para o Ministério da Justiça. Na verdade, o governo deixou de levar a sério o deputado mineiro depois que ele, em profunda avaliação política, concluiu que o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, “tem influencia zero no governo e no Congresso”.

Ação para prevenir trabalho infantil

Um movimento importante foi realizado ontem pelo Ministério Público do Trabalho, para prevenir ocorrências de trabalho infantil. A procuradora do Trabalho Patrícia de Mello Sanfelici, representante regional da Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho de Crianças e Adolescentes reuniu em Porto Alegre, 21 representantes de secretarias da Educação de 14 municípios da Região Metropolitana e do Litoral. A reunião integrou o Projeto Estratégico “Resgate a Infância”, que está sendo implantado pelo MPT, a partir de seus três eixos: políticas públicas, educação e profissionalização.

O objetivo do Projeto é prevenir e combater o trabalho infantil, conscientizar a sociedade, fomentar políticas públicas, promover a formação profissional e proteger o trabalhador adolescente.

Bons de mídia

Além do ministro da Cultura, Roberto Freire, os gaúchos Osmar Terra, da Reforma Agrária e Desenvolvimento Social, e Eliseu Padilha, da Casa Civil, têm sido os campeões em uso da mídia para difusão de ações relevantes do governo federal este ano.

Ruídos na base

O nome do ex-deputado Fabiano Pereira, indicado pelo PSB para ocupar a Secretaria do Trabalho, agora absorvida pela pasta da Justiça e direitos Humanos, encontra algumas objeções entre deputados da atual base do governo. A ação forte de Fabiano, ainda como deputado do PT no governo Yeda Crusius (PSDB) deixou um efeito residual negativo em alguns deputados do PMDB, PP e PSDB.

Comparando as obras

A agilidade e a logística empregados pelos bandidos que vinham construindo um túnel de acesso ao Presídio Central, presos em exuberante trabalho da Polícia Civil, chama a atenção de quem compara aquela obra, com o Centro de Triagem de Presos, que o governo iniciou em outubro, e ainda não conseguiu terminar na Capital.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

Mutirão supremo pela mulher
Bisturi afiadíssimo
Deixe seu comentário
Pode te interessar