Domingo, 16 de Maio de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Fog

Ciência Voo de helicóptero da Nasa em Marte pode acontecer já nesta segunda

Compartilhe esta notícia:

A viagem ajudará a Nasa a coletar dados inestimáveis sobre as condições no Planeta Vermelho. (Foto: Divulgação)

O helicóptero Ingenuity da Nasa pode fazer seu primeiro voo sobre Marte já nesta segunda-feira (19), informou a agência espacial dos Estados Unidos, após um atraso de mais de uma semana devido a um possível problema técnico.

A viagem do mini-helicóptero marcará o primeiro voo motorizado e controlado em outro planeta e ajudará a Nasa a coletar dados inestimáveis sobre as condições no Planeta Vermelho.

“A Nasa tem como meta não antes de segunda-feira, 19 de abril, para o primeiro voo de seu helicóptero Ingenuity Mars”, disse a agência espacial. Os dados retornarão à Terra “algumas horas após o voo autônomo”, que decolaria aproximadamente às 3h30 (4h30 no horário de Brasília-DF), segundo a Nasa.

A primeira viagem do Ingenuity foi inicialmente marcada para o domingo passado (11), mas teve que ser adiada após o surgimento de um potencial problema durante um teste de alta velocidade dos rotores do helicóptero de 1,8 kg.

A Nasa considera a operação sem precedentes altamente arriscada: o voo é um desafio porque o ar em Marte é muito rarefeito, com menos de 1% da pressão da atmosfera da Terra.

O helicóptero chegou a Marte preso à parte inferior do rover Perseverance, que pousou em 18 de fevereiro.

A missão é o equivalente em Marte ao primeiro voo motorizado na Terra, realizado pelos irmãos Wright em 1903 em Kitty Hawk, na Carolina do Norte, nos EUA. Um pedaço de tecido desse avião foi colocado dentro da Ingenuity em homenagem ao feito.

Retorno de astronautas

Três membros da tripulação da Estação Espacial Internacional – dois cosmonautas russos e uma astronauta americana da Nasa – voltaram à Terra no sábado (17), na espaçonave russa Soyuz, de acordo com a agência Roscosmos. A microbiologista Kate Rubins e os russos Sergei Ryzhikov e Sergei Kud-Sverchkov aterrissaram a cerca de 150 quilômetros ao sudeste da cidade de Zhezkazgan, no Cazaquistão, após viagem na Soyuz MS-17.

Eles estavam na estação espacial desde meados de outubro de 2020. Foram 185 dias no espaço. Kate Rubins, de 42 anos, e o ex-piloto militar Ryzhikov, de 46, realizaram sua segunda missão no espaço. Já estiveram na ISS em julho e outubro de 2016, respectivamente. Kud-Sverchkov, de 38, outro ex-piloto militar fez sua primeira missão espacial. A americana foi a primeira pessoa a sequenciar DNA no espaço, em 2016.

As redes sociais da Nasa, a agência espacial americana, registraram o momento em que Rubins cumprimentou os colegas após a aterrissagem ao respirar o ar da Terra após seis meses. Por conta do longo período no espaço, ela precisou ser carregada pelos companheiros.

Após os exames médicos, a tripulação vai se separar. Rubins volta para sua casa em Houston, enquanto os cosmonautas voam para sua base de treinamento em Star City, Rússia.

No final do mês, mais quatro astronautas, da Nasa e Agência Espacial Europeia, devem se juntar à tripulação da Estação Espacial Internacional. São eles os astronautas da Nasa Shane Kimbrough e Megan McArthur, o japonês Akihiko Hoshide e o francês Thomas Pesquet, que devem chegar à ISS na próxima sexta-feira (23) para iniciar uma nova pesquisa de longa duração no espaço.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

A SpaceX é escolhida pela Nasa para levar astronautas à Lua
Helicóptero da Nasa faz o primeiro voo em Marte
Deixe seu comentário
Pode te interessar