Últimas Notícias > Notícias > Brasil > O Cade vai investigar obras da Petrobras e de estádios

Temer chega a sede da Polícia Federal no Rio de Janeiro aos gritos de “ladrão”

Um grupo de cerca de dez manifestantes esperava a chegada do ex-presidente, que foi chamado de golpista e ladrão. (Foto: Reprodução de TV)

Preso nesta quinta-feira (21) pela Força-Tarefa da Lava-Jato no Rio de Janeiro, o ex-presidente Michel Temer (MDB) chegou à Superintendência da PF (Polícia Federal) da mesma cidade, onde ficará preso preventivamente, por volta das 18h30min. Um grupo de cerca de dez manifestantes esperava a chegada do ex-presidente, que foi chamado de golpista e ladrão. Dois deles ergueram uma bandeira do Brasil.

O juiz Marcelo Bretas, que determinou a prisão de Temer, decidiu mantê-lo no local e afirmou que o tratamento deve ser o mesmo dado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na Polícia Federal de Curitiba desde abril de 2018. “Entendo que o tratamento dado aos ex-presidentes deve ser isonômico, uma vez que o ex-presidente Lula está custodiado na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba”, escreveu o juiz.

Na porta do prédio havia um grande número de jornalistas e alguns manifestantes com cartazes. Alguns chegaram a dar tapas e socos em viaturas do comboio da PF. Temer foi trazido de São Paulo em um avião da Polícia Federal, do aeroporto de Cumbica, em Guarulhos e desembarcou na Base Aérea do Galeão.

O Ministério Público Federal afirmou, em nota, que requereu a prisão preventiva de alguns dos investigados porque todos os fatos somados apontam para a existência de uma organização criminosa em plena operação, envolvida em atos concretos de clara gravidade. Os envolvidos são suspeitos de terem praticado crimes de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro.

 

Deixe seu comentário: