Sábado, 25 de junho de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Rio Grande do Sul Homem que agrediu um cão até a morte tem prisão preventiva decretada em Rio Grande

Compartilhe esta notícia:

Crime cometido em janeiro causou comoção pública. (Foto: Reprodução/MP-RS)

Acolhendo recurso do Ministério Público (MP), o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) determinou a prisão preventiva do autor de agressões que resultaram na morte de um cão na cidade de Rio Grande (Litoral Sul do Estado). O crime foi cometido no dia 15 de janeiro em uma garagem coletiva na rua Benjamin Constant e causou comoção coletiva.

Uma decisão em primeira instância havia indeferido o pedido de prisão preventiva contra o investigado pelos maus-tratos contra o animal, da raça buldogue inglês e conhecido como “Costela”.

O bicho foi alvo de diversos golpes com um instrumento similar a um porrete. O crime foi cometido no dia 15 de janeiro em uma garagem coletiva localizada na Rua Benjamin Constant e gerou comoção da comunidade de Rio Grande e profunda indignação pública, conforme as inúmeras notícias veiculadas em veículos locais e estaduais, além de posts e comentários nas redes sociais.

Na época da negativa ao pedido de prisão, a promotora Camile Balzano de Mattos recorreu, levando em consideração que imagens obtidas mediante câmeras de segurança mostram o investigado desferindo diversos golpes na cabeça do cachorro até matá-lo, de forma extremamente cruel.

“Isso demonstra, de forma inequívoca, sua periculosidade e descontrole diante de uma situação que o incomodava, sendo necessária a decretação de sua prisão preventiva como forma de garantia da ordem pública, a fim de evitar a reiteração da conduta”, argumentou.

De acordo com o promotor Adriano Zibetti, que atua no caso, o réu já responde por outro ataque desse tipo, tendo como vítima a cadelinha Charlote, irmã de Costela. Durante o cumprimento de ordem judicial na residência do agressor, policiais encontraram munições sem que o homem tivesse autorização para isso. Zibetti enfatiza:

“A decisão publicada hoje mostra alguma mudança de paradigma em relação a esse assunto, uma preocupação maior e até mesmo uma pressão popular por uma resposta mais austera em cima dessas situações de maus-tratos aos animais”.

Audiência

O réu era esperado para uma audiência de instrução na quinta-feira da semana passada (19), mas não compareceu. Testemunhas já foram ouvidas pelo Ministério Público e, nesta quinta-feira (26) será retomada a audiência, com a oitiva de uma testemunha da Promotoria que também faltou, bem como testemunhas elencadas pela defesa. Por fim, será a vez de o próprio investigado passar por interrogatório.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Projeto em tramitação na Assembleia prevê cadastro com foto de quem paga em dinheiro o serviço de transporte por aplicativo
Policiais militares são baleados por criminosos em Canoas
Deixe seu comentário
Pode te interessar