Terça-feira, 13 de Abril de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

Mundo Os Estados Unidos detiveram 100 mil imigrantes na fronteira com o México em fevereiro

Compartilhe esta notícia:

As medidas adotadas por Biden devem enfrentar resistência entre legisladores republicanos. (Foto: Reprodução/Twitter)

Agentes de fronteira dos Estados Unidos detiveram quase 100 mil migrantes na fronteira do país com o México em fevereiro, o maior número de prisões no mês de fevereiro desde 2006.

Os números, que não foram divulgados anteriormente, mostram a dimensão de um aumento crescente no número de imigrantes que chegam à fronteira sudoeste americana, enquanto o presidente Joe Biden busca reverter algumas das políticas restritivas do ex-presidente Donald Trump.

O número crescente de crianças que chegam à fronteira sem um dos pais ou tutor legal, em particular, forçou as autoridades americanas a enfrentar desafios na busca por opções de moradia e a tomar medidas para acelerar a sua liberação para patrocinadores nos Estados Unidos.

Os quase 100 mil migrantes detidos na fronteira EUA-México em fevereiro representariam um aumento significativo em relação aos 78 mil presos em janeiro.

Os republicanos criticaram Biden por reverter as políticas de imigração linha-dura de Trump, dizendo que a mudança levará a um aumento da imigração ilegal.

Kevin McCarthy, o principal republicano na Câmara dos Representantes, enviou uma carta a Biden solicitando uma reunião para discutir o assunto, dizendo que tinha “grande preocupação” com a política do governo Biden em relação à fronteira.

“Devemos reconhecer a crise na fronteira, desenvolver um plano e, em termos inequívocos, desencorajar fortemente os indivíduos do México e da América Central a jamais fazerem a perigosa jornada até nossa fronteira sul”, escreveu McCarthy na carta.

Base militar

O governo do presidente americano, Joe Biden, está considerando abrigar crianças imigrantes que chegam aos Estados Unidos desacompanhadas de seus pais em uma base militar na Virgínia.

De acordo com o site de notícias Axios, na última semana de fevereiro, o Controle de Fronteira levou, em média, 321 crianças sob custódia por dia. Na primeira semana de janeiro a média foi de 47 por dia. Em 4 de março, segundo o departamento, 7.700 crianças estavam em abrigos do governo federal americano, o nível mais alto desde 2019. Por causa disso, os abrigos destinados a estes imigrantes estão chegando ao limite de suas capacidades.

A lei americana prevê que esses menores desacompanhados – que chegam aos EUA sem os pais ou responsáveis legais – sejam levados pelas patrulhas de fronteira a centros de acolhimento, controlados pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos, em até 72 horas.

Um porta-voz do Pentágono confirmou à agência de notícias e à Fox News que a base de Fort Lee, na Virgínia, estava sendo avaliada como um possível abrigo para as crianças imigrantes, embora um pedido oficial não tenha sido feito. Se isso se confirmar, porém, não será a primeira vez que os Estados Unidos colocariam menores desacompanhados em instalações militares. O mesmo ocorreu durante o governo do ex-presidente Barack Obama em 2014.

Recentemente, a administração Biden abriu uma instalação para crianças desacompanhadas em Carrizo Springs, no Texas. Também está abrindo mais duas instalações no Estado para atender famílias e crianças migrantes.

Dado o potencial para mais uma crise de imigração na fronteira, republicanos estão pedindo que Biden restabeleça o estado de emergência nacional na fronteira.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

O aumento da produção de vacinas contra o coronavírus provoca a corrida por seringas em todo o mundo
Indianos pediram a demissão do juiz que propôs que um estuprador se casasse com a vítima
Deixe seu comentário
Pode te interessar