Terça-feira, 14 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
Fair

Mundo Policial de Minneapolis é acusado de assassinato no caso George Floyd

Compartilhe esta notícia:

Policial foi filmado com o joelho sobre o pescoço de George Floyd. (Foto: Reprodução/Facebook)

O policial branco de Minneapolis (EUA) flagrado com o joelho sobre o pescoço de um homem negro desarmado foi preso e acusado de assassinato, disse um promotor nesta sexta-feira (29), depois de três noites de protestos violentos na cidade, segundo informações da agência de notícias Reuters.

Derek Chauvin, o policial visto no vídeo de um celular ajoelhado no pescoço de George Floyd na segunda-feira antes da morte do homem de 46 anos, foi acusado de assassinato em terceiro grau e homicídio culposo, afirmou o promotor do condado de Hennepin, Mike Freeman, em entrevista coletiva.

Ele está sob custódia e foi acusado de assassinato”, disse Freeman sobre Chauvin. “Temos provas, temos o vídeo da câmera do cidadão, a coisa horrível e terrível que já vimos repetidamente, temos a câmera do policial, temos declarações de algumas testemunhas.”

As imagens do celular mostram Floyd repetidamente gemendo e ofegante implorando a Chauvin: “Por favor, não consigo respirar”. Depois de alguns minutos, Floyd vai ficando quieto e para de se mover.

Chauvin e três colegas policiais foram demitidos na terça-feira do Departamento de Polícia de Minneapolis. A cidade identificou os outros oficiais como Thomas Lane, Tou Thao e J. Alexander Kueng.

Freeman disse que a investigação sobre Chauvin — que, se condenado, pode pegar até 25 anos de prisão por acusação de assassinato — estava em andamento.

Em um comunicado, o procurador-geral dos EUA (que funciona também como secretário de Justiça), William Barr, classificou o vídeo de Floyd com Chauvin de “angustiante e profundamente perturbador” e observou que uma investigação federal paralela está em andamento para determinar se os policiais violaram leis de direitos civis.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tentou nesta sexta-feira voltar atrás na ameaça no Twitter de uma resposta com força letal aos protestos violentos em Minneapolis pelo assassinato.

Depois que seu comentário online de que “saques levam a tiroteio” atraiu um aviso do Twitter e uma ampla condenação dos democratas, Trump disse que entendeu porque o incidente provocou protestos em todo o país sobre a violência policial contra afro-americanos.

Mas o presidente acrescentou que eles não devem se voltar para a “anarquia sem lei”.

Os saqueadores não devem abafar as vozes de tantos manifestantes pacíficos”, disse ele na Casa Branca. “Eu entendo a mágoa, eu entendo a dor.” As informações são da agência de notícias Reuters.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Preso o policial branco que matou um negro e provocou diversos protestos nos Estados Unidos
Assediados por causa do coronavírus, asiáticos dos Estados Unidos reagem nas ruas e na internet
Deixe seu comentário
Pode te interessar