Segunda-feira, 14 de Junho de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Clear

Flávio Pereira Falta de verbas pode parar obra do Centro de Oncologia do GHC

Compartilhe esta notícia:

Presidente do GHC, Claudio Oliveira, e o gerente Élcio Carvalho receberam o coordenador da bancada gaúcha em Brasília, deputado Giovani Cherini. (Foto:Divulgação)

Há uma demanda reprimida no atendimento oncológico, gerada pela prioridade ao Covid-19. No momento em que essa demanda surgir, será necessária uma capacidade de atender a estes casos. Nesse contexto, se insere o novo Centro de Oncologia e Hematologia do GHC (Grupo Hospitalar Conceição), cujas obras estão em andamento. Iniciadas em fevereiro de 2018, as obras do projeto em Porto Alegre, chegam agora ao patamar de 68%, mas por absoluta falta de recursos, poderão parar em breve. Faltam ainda R$ 33 milhões para as obras, além de outros R$ 30 milhões para a aquisição de equipamentos. No caso dos equipamentos, já existe um início de entendimento com o Ministério da Saúde para obter dois aceleradores lineares no valor de R 15 milhões. O Presidente do Grupo Hospitalar Conceição, Claudio Oliveira, além da rotina normal de gestão do grupo que recebe pacientes de quase 300 municípios, volta sua preocupação para a busca dos recursos necessários para que as obras do Centro de Oncologia não sejam paralisadas.

Quando concluído, o novo Centro vai reunir unidades de diagnóstico (ambulatório e recursos de imagem) e de tratamento (radioterapia e internações) para atendimento de pacientes com câncer. O projeto final prevê aumentar de 50 para 94 leitos de internação, de 16 para 54 poltronas de quimioterapia, e a abertura dos serviços de radioterapia e transplante de medula.

Obras não param no Centro de Oncologia

Desde o seu início, as obras nunca pararam, graças a um malabarismo na gestão dos recursos, com os remanejamentos feitos por Claudio Oliveira com verbas orçamentárias de reformas em outras unidades, como os hospitais Fêmina e Cristo Redentor. Agora porém, o projeto chega a um momento crucial, caso não sejam destinados mais recursos.

Da bancada gaúcha, o presidente do GHC só tem agradecimentos, após obter, por meio de emendas parlamentares a maior parte dos recursos desde o início do projeto. Já foram empenhados R$ 54,6 milhões. O investimento total necessário, reajustado chega a R$ 88.685 milhões.

Apoio da bancada gaúcha

Em nome da bancada federal gaúcha, o deputado federal Giovani Cherini visitou a direção do GHC, e colocou-se à disposição para gestionar junto aos parlamentares, e ao Ministério da Saúde os recursos para o término da obra

“Estamos usando hoje os nossos recursos, paralisando obras que são também importantes para o grupo, sob o risco de paralisar essa obra do Centro de Oncologia, que é muito importante”, comentou o presidente Claudio Oliveira, na reunião com Cherini.

O coordenador da bancada gaúcha sugere “somarmos mais uma vez esforços para que a bancada gaúcha dê sua contribuição novamente, porque aqui é um hospital de referência, um hospital publico, e precisamos nos somar para que o Hospital Conceição possa prestar esse serviço tão importante na cura do câncer”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Flávio Pereira

Óbitos de Covid-19 foram superestimados para aumentar repasses aos Estados?
Jair Bolsonaro: “É preciso verificar supernotificação de óbitos para aumento da remessa de recursos da União”
Deixe seu comentário
Pode te interessar