Domingo, 12 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Cloudy

Flávio Pereira Após Mensalão e Petrolão, chegou o Covidão: corrupção com verbas para combate ao coronavírus

Compartilhe esta notícia:

Operação no Palácio das Laranjeiras, residência oficial do governador Witzel no Rio de Janeiro. (Foto: Reprodução/Vídeo)

O Covidão, que ganhou o nome de Operação Placebo no Rio de Janeiro, e que apura desvio milionário de recursos da saúde por gestores públicos, cresce no País inteiro. Os gestores não criam vergonha, não poupam sequer o dinheiro dos contribuintes, destinado pelo governo Federal para combater o coronavírus. Ontem, na vez do Rio de Janeiro, a Polícia Federal cumpriu mandados judiciais e realizou ação de busca e apreensão no Palácio das Laranjeiras, residência oficial do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC). Todas as investigações direcionam, por ora, para o envolvimento direto do governador no desvio de recursos.

São Paulo

No Estado de São Paulo, o Ministério Público está investigando compras sem licitação de equipamentos para combate à pandemia no governo de João Dória (PSDB). De acordo com o MP, o Estado fechou um contrato de US$ 100 milhões (cerca de R$ 574 milhões) por três mil respiradores vindos da China. Até o momento, a maior parte dos aparelhos não foi liberada pelo governo chinês. Alguns números: teste rápido de Covid-9 que o Governo Federal comprou por R$ 79,98, o governo de São Paulo pagou R$ 130,00. Ventiladores pulmonares comprados pelo Governo Federal por R$ 85 mil, em São Paulo foram adquiridos por R$ 169 mil.

Santa Catarina

Em Santa Catarina, o governador Carlos Moisés (PSL) passa por uma Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar um possível desvio de recursos públicos na compra sem licitação de respiradores. De acordo com a polícia, na operação está sendo investigada a compra de 200 aparelhos por R$ 33 milhões, pagos adiantados. O governador vê-se, ainda, às voltas com um constrangedor caso de suposto assédio a uma secretária, que engravidou e pede exame de DNA.

Amapá

No Amapá, uma operação da Polícia Federal já apontou superfaturamento na compra de equipamentos de proteção individual, em pelo menos seis dos quinze itens que foram comprados, através de um contrato firmado sem licitação pelo Fundo Estadual de Saúde do Amapá, que dispensou licitação.

Pará

No Pará, onde o Secretário da Saúde é o médico Alberto Beltrame, presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde, cerca de 152 aparelhos dos 400 que foram importados, em compra sem licitação, chegaram da China sem condições de uso. A compra foi no valor de R$ 50 milhões. O caso está sendo investigado pela Polícia Federal.

Amazonas

No Amazonas, um inquérito investiga o pagamento pelo governador Wilson Lima (PSC) de R$ 2,9 milhões a uma loja de vinhos por 28 ventiladores pulmonares para tratar de infectados pelo novo coronavírus. O valor unitário equivale a até quatro vezes o preço do aparelho em lojas no Brasil e no exterior, e os equipamentos são considerados “inadequados” para pacientes de Covid-19, segundo o Conselho Regional de Medicina do Amazonas.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Flávio Pereira

Mudança na medição de proliferação do Coronavírus no RS é elogiada por Osmar Terra
Grupo Hospitalar Conceição vai retomar agenda de cirurgias eletivas.
Deixe seu comentário
Pode te interessar