Segunda-feira, 25 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair / Wind

Rio Grande do Sul Começa nesta semana uma nova fase de aulas programadas na rede estadual de ensino do Rio Grande do Sul

Compartilhe esta notícia:

As aulas estão sendo disponibilizadas pelas escolas estaduais de modo que todos tenham acesso

Foto: Ascom SES
Conteúdos são compartilhados de diversas formas, incluindo o envio de áudios e vídeos. (Foto: EBC)

Com a decisão do governo do Rio Grande do Sul em prorrogar o período de suspensão das aulas presenciais até 30 de abril (para instituições públicas e particulares), a fim de combater a disseminação do coronavírus, começa nesta segunda-feira (6) uma nova etapa de aulas programadas nas escolas da rede estadual de ensino. A garantia é de que conteúdos são disponibilizados de modo que todos tenham acesso.

Conforme a Seduc (Secretaria Estadual da Educação), o processo se dá por por mensagens de WhatsApp ou Facebook, compartilhamento de arquivos de áudio e vídeo, e-mail, salas virtuais na plataforma Google ou até mesmo por meio da entrega de materiais didáticos para os alunos que não podem se conectar à internet.

As aulas programadas envolvem atividades escolares, presenciais ou não, previamente elaboradas com base em objetos de conhecimentos já abordados em sala, compreendendo um conjunto de conteúdos a serem cumpridas pelos estudantes e seus respectivos professores. Já a entrega das tarefas pelos alunos será realizada após o retorno das aulas presenciais.

A partir da quarta-feira, os professores participarão do segundo módulo de um curso on-line fornecido ao magistério, diretamente pelo Portal da Educação, que tratará da elaboração do Currículo Referência dos Ensinos Fundamental e Médio. Para isso, as atividades de capacitação conta com a participação direta de mais de 40 mil docentes.

O diretor do Departamento de Educação da Seduc, Roberval Furtado, avalia que o momento é de continuidade das ações pedagógicas implantadas no decorrer do mês de março: “As aulas programadas, assim com o teletrabalho e a formação dos docentes, têm sido uma ferramenta efetiva de aprendizagem. Agora, a partir do dia 6, teremos uma nova etapa deste processo”.

“Vale destacar que as atividades propostas pelas aulas programadas não precisam, necessariamente, utilizar a internet”, acrescenta. “Os educadores podem utilizar das mais variadas formas de atividades que vão desde a utilização do caderno até a produção de textos à elaboração de vídeos.”

Cursos EAD

Ainda dentro dessa proposta de permitir o estudo sem sair de casa, o Ministério da Educação oferece 32 mil vagas gratuitas em cursos técnicos de qualificação, por meio da modalidade EAD (ensino à distância) para qualificação profissional e técnicos. A iniciativa faz parte do programa “Novas Caminhos”, voltadas ao empreendedorismo e o ensino profissional e tecnológico.

Todas as oportunidades podem ser conferidas, de forma simples, em página específica nosite www.portal.mec.gov.br. Assim que preenchidos os dados básicos do educador, as instituições cadastradas e com cursos já disponíveis aparecem na tela.

A plataforma reúne opções em Educação, Administração, Logística e Meio Ambiente, por exemplo. Já a carga horária média varia de 160 a 800 horas, conforme o perfil e área da atividade.

“Esse tipo de ensino remoto é fundamental em meio à pandemia do coronavírus, em que o participante pode optar pelo estudo em casa e obter um certificado para a carreira”, salienta a Seduc.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

O pico de casos de coronavírus no Rio Grande do Sul deve ocorrer no período de junho e julho
Uma força-tarefa de indústrias dará preferência ao Rio Grande do Sul no conserto de respiradores artificiais
Deixe seu comentário
Pode te interessar