Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Fair

Polícia Autor do triplo homicídio em Porto Alegre comprou arma idêntica à utilizada no crime

Arma tem o mesmo calibre e cor da utilizada no crime.

Foto: Divulgação/Polícia Civil
Arma tem o mesmo calibre e cor da utilizada no crime. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A Polícia Civil informou nesta quarta-feira (29) que o autor do triplo homicídio na zona Sul da Capital, no último domingo (26), comprou uma arma idêntica à utilizada no crime. 

Segundo o delegado Rodrigo Pohlmann Garcia, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, chegou aos policiais a informação de que um amigo do atirador havia recebido dele uma foto de uma arma preta, 9mm, mesma cor e calibre da usada contra a família, que ele teria adquirido.

Os policiais estão verificando se esta arma foi comprada pelo pai do atirador, que não tinha idade para registrar uma arma. A mãe, que estava junto com ele no domingo, já possui uma arma registrada em seu nome, que foi localizada.

Conforme o delegado, também está sendo verificado com a Polícia Federal se há algum registro de arma em nome de uma das vítimas, já que o autor dos disparos alegou legítima defesa e disse que a 9mm usada por ele era do motorista do outro carro, que acabou morto na briga.

Também foi ouvida na tarde desta quarta-feira a testemunha que era namorada de uma das vítimas.

Segundo ela, não foi possível ver toda a ação, já que estava dentro do carro tentando evitar que a criança que também estava presente visse o que estava ocorrendo. Ela afirmou não ter conhecimento de que ninguém da família tivesse armas.

Conforme o delegado, a testemunha relatou que o motorista havia bebido na festa de onde vinham, o que poderia ser o motivo para ele não ter parado logo que ocorreu a colisão. 

Prisão e depoimento 

A prisão de Dionatha Bitencourt Vidaletti foi realizada na terça-feira (28), após ele se entregar à Justiça alegando legítima defesa. Os detalhes foram divulgados em coletiva no final da tarde de terça.

O suspeito, de 24 anos, disse em depoimento que foi agredido pelo motorista que morreu e pela mulher que estava com ele. Afirmou ainda que o motorista tinha uma arma e que sofreu coronhadas. Para parar com as coronhadas, a mãe dele deu um tiro para o chão. Então, segundo ele, começaram agressões contra sua mãe. Vendo isso, conseguiu pegar a arma do motorista e foi então que atirou contra os três. Segundo ele, a arma foi descartada na região onde tudo ocorreu.

Carro e armas localizados

Durante os trabalhos de investigação policial, foi localizada, na tarde de segunda-feira (27), a Ecosport, assim como uma pistola, que estaria no nome da mãe da vítima, e um revólver, ainda sem informações sobre registro. A arma utilizada, uma 9mm, não estava entre as encontradas.

O crime

No domingo (26) houve uma pequena colisão entre um Citroën Aircross, onde estava a família, e uma Ecosport, que estava estacionada. O motorista da Ecosport começou a perseguir o outro automóvel, que não parou após a batida, e o obrigou a frear, iniciando uma discussão. As vítimas foram Rafael Zanetti Silva, 45 anos, Fabiana da Silveira Innocente Silva, 43, e Gabriel da Silveira Innocente Silva, 20.

O filho mais novo do casal, de 8 anos, e a namorada de Gabriel também estavam no Citroën, mas não se feriram. O assassino fugiu. Ele não possuiria o registro da arma usada no crime.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Polícia

Construção da Unidade de Saúde Mato Sampaio começa em fevereiro
Vigilância do novo coronavírus mobiliza área de saúde da Capital
Deixe seu comentário
Pode te interessar