Quinta-feira, 03 de Dezembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Light Rain

Rio Grande do Sul Chefe de Polícia do RS confirma inauguração de Delegacia de Intolerância em Porto Alegre

Compartilhe esta notícia:

Nadine Anflor fez anúncio junto do governador Eduardo Leite.

Foto: Reprodução
Nadine Anflor fez anúncio junto do governador Eduardo Leite. (Foto: Reprodução)

A chefe de Polícia, delegada Nadine Anflor, informou nesta sexta-feira (20), Dia da Consciência Negra, após o espancamento e morte de um homem negro no supermercado Carrefour, em Porto Alegre, que a cidade terá a sua primeira Delegacia de Intolerância. A inauguração está prevista para dezembro.

“No dia 10 de dezembro, vamos inaugurar a primeira Delegacia de Intolerância, que é um lugar apropriado e específico para que as pessoas possam buscar informações, não apenas efetuar denúncias, para que possamos mudar essa triste realidade das intolerâncias e do racismo que acabam gerando consequências na sociedade, como este caso”, disse a delegada Nadine.

O anúncio foi feito durante o pronunciamento que o governador Eduardo Leite fez pela manhã, em que condenou o ato. O governador classificou o ocorrido como “lamentável”, lembrou o Dia da Consciência Negra e disse estar indignado com o “excesso de violência que levou à morte de um cidadão negro”, e lembrou que o Estado criou, no ano passado, o Departamento de Grupos Vulneráveis, e que a inauguração acontece dentro da proteção desses grupos.

Ele também anunciou o lançamento de uma série de cartilhas sobre crimes de intolerância pela Polícia Civil. A primeira cartilha, sobre racismo, explica, por exemplo, a diferença de termos como racismo, discriminação e preconceito.

A chefe de Polícia também afirmou que os dois agressores foram presos em flagrante e autuados por homicídio triplamente qualificado, por motivo fútil, asfixia e recurso que dificultou a defesa da vítima. Mais duas pessoas serão investigadas ao longo do inquérito.

Secretarias emitem notas de repúdio pelo assassinato de cidadão negro

As secretarias estaduais de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, e da Cultura, também emitiram nota sobre o caso.

Confira a nota da SJCDH:

“A Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH) e o GT Combate à Violência Contra a População Negra, manifesta repúdio e lamenta o óbito de João Alberto Silveira de Freitas em razão de brutal agressão sofrida pela ação desmedida de seguranças. O fato ocorreu na noite do dia 19 de novembro, em supermercado no bairro Passo d’Areia, zona norte de Porto Alegre.

Hoje, a nossa Porto não amanheceu alegre, pois nesta data, 20 de novembro, em que pretendíamos celebrar o Dia da Consciência Negra, dia de reflexões, saudações, resgate e reforço da cultura e tradições negras em todo o país. O triste fato ocorrido com João Alberto Silveira de Freitas nos deixa envergonhados e consternados.

Registramos nossos mais sinceros sentimentos e orações de pesar à família, parentes e amigos pela perda de seu ente querido. A SJCDH estará atenta e acompanhará todas as ações para o acolhimento e apoio aos familiares da vítima.

Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos.”

Confira a nota da Sedac:

“A Secretaria de Estado da Cultura (Sedac) vem a público para dizer que repudia todo e qualquer ato de racismo. Lamentamos profundamente o fato ocorrido em supermercado na capital, resultando na morte violenta de um cidadão negro.

Reconhecemos o racismo estrutural histórico tão nefasto para o desenvolvimento social e econômico de nosso país. Estamos fazendo nossa parte para mudar essa realidade, trabalhando para a implementação de políticas públicas, construindo ações afirmativas permanentes para a população negra gaúcha.

Não podemos nos conformar diante do racismo e de qualquer forma de discriminação.

Vidas Negras Importam.

Secretaria da Cultura.”

Delegados também se manifestam

Outra entidade que se manifestou sobre o caso foi a Associação dos Delegados de Polícia do RS. A entidade destacou que “tal violência não reflete os valores e a missão de quem se dedica a defender a população e garantir a segurança pública”.

Confira a nota:

“A ASDEP – Associação dos Delegados de Polícia do RS lamenta e repudia o caso ocorrido na noite de ontem, 19 de novembro, em Porto Alegre. Na ocasião, dois homens covardemente agrediram e espancaram um cidadão até a morte em um supermercado, no bairro Passo D’Areia. A Associação dos Delegados de polícia salienta que tal violência não reflete os valores e a missão de quem se dedica a defender a população e garantir a segurança pública.

“Não podemos ficar calados diante dessa situação. É lamentável que no ano de 2020 ainda vejamos casos como o ocorrido nesta noite. A violência sofrida por esse homem não pode passar impune e precisamos exigir que sejam tomadas as medidas cabíveis, os fatos estão sendo devidamente apurados e temos convicção que serão esclarecidos. Entristece a cidade acordarmos com mais uma vida perdida”, afirmou o presidente da ASDEP, Delegado Pedro Carlos Rodrigues.

A ASDEP confia na condução do trabalho exercido pelos Delegados e Agentes da Policia Civil que saberão apurar todas as circunstâncias e motivações trazendo a sociedade a resposta efetiva que o caso merece.”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Prefeitura de Porto Alegre divulga nota de repúdio sobre morte de homem negro em supermercado
Morte de negro em supermercado é crime “bárbaro”, diz ministro do Supremo
Deixe seu comentário
Pode te interessar