Segunda-feira, 21 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
Fair

Tecnologia Como recuperar fotos apagadas: conheça duas formas simples para quem não quer perder dados importantes

Compartilhe esta notícia:

40% dos entrevistados acreditam não serem capazes de substituir as fotos e vídeos de viagens, dos filhos ou de si próprios. (Foto: Reprodução)

Nos dias de hoje, confiamos o armazenamento das nossas melhores lembranças em dispositivos como HDs, cartões de memória ou mesmo em pen drives. Mas esses dispositivos estão suscetíveis a falhas e existe o risco de perder todas as recordações armazenadas ali. Recordações da infância, da primeira viagem internacional ou mesmo do casamento que aconteceu anos atrás.

Essa situação é, no mínimo, desesperadora e acontece com grande frequência. De acordo com a pesquisa feita pela Karpersky Lab, empresa multinacional russa fornecedora de segurança cibernética, as pessoas consideram o estresse causado pela perda de fotos maior, inclusive, que o rompimento de um relacionamento. Além disso, mais de 40% dos entrevistados acreditam não serem capazes de substituir as fotos e vídeos de viagens, dos filhos ou mesmo de si próprios.

E essa realidade se amplia, por exemplo, quando se trata de fotógrafos profissionais. Diariamente empresas de recuperação profissional de dados recebem pedidos para recuperar cartão de memória corrompido ou mesmo queimado. E, no caso dos fotógrafos, a situação é ainda mais grave. Afinal, as recordações perdidas são de clientes que confiaram o registro de seus momentos mais especiais.

Pensando na importância dos nossos arquivos digitais, seguem duas formas de recuperar fotos deletadas e dados em geral. A primeira se trata de um software gratuito, para uma recuperação de dados mais caseira, já a segunda é um método profissional de recuperação de dados e o mais recomendado pelos profissionais da área.

Recuva

O Recuva é uma alternativa para quem precisa recuperar fotos apagadas acidentalmente. É um software gratuito e muito fácil de utilizar, mas não é aconselhado para recuperar dados sensíveis ou mesmo insubstituíveis, já que não tem nenhum tipo de garantia e pode dificultar ou até mesmo inviabilizar um processo de recuperação profissional de dados.

Três passos para recuperar dados com o Recuva:

Passo 1: após o download e instalação do software, já na primeira tela, é possível escolher o tipo de arquivo que deseja recuperar, podendo ser documentos, imagens, vídeos e etc.

Passo 2: após selecionar para recuperar imagens, que é o que está sendo tratado aqui, basta selecionar a localização do arquivo, podendo ser na lixeira, nos meus documentos ou ainda pode recuperar dados de cartão memória ou outro tipo de dispositivo.

Passo 3: após fazer a seleção correta do local, é necessário clicar em iniciar para que, então, o Recuva comece o processo de busca pelos arquivos a serem recuperados.

Empresa de recuperação profissional de dados

Essa é a alternativa mais indicada, principalmente para fotógrafos que precisam recuperar fotos importantes de seus clientes. Isso porque, uma empresa de recuperação profissional de dados possui conhecimento e equipamentos adequados para entender as peculiaridades de cada caso e então aplicar a melhor técnica.

Um exemplo é a HD Doctor, empresa que é referência nacional em recuperação de dados e que possui mais de 20 anos de experiência no setor. De acordo com Samir Mattar, diretor da empresa, a melhor alternativa em casos de perda de fotos ou arquivos em geral é levar diretamente a uma empresa especializada, já que uma tentativa de recuperação de dados malsucedida pode inviabilizar o processo de recuperação profissional de dados.

Segundo o diretor da empresa, o processo é bem simples e consiste, basicamente, em 3 etapas:

Etapa 1: análise e diagnóstico

Etapa 2: tentativa de recuperação de dados

Etapa 3: conferência e recebimento dos dados

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Tecnologia

A Microsoft revela o lançamento do Xbox Series X; o preço continua em segredo
A Apple é condenada a pagar 500 milhões de dólares por violar a patente do 4G
Deixe seu comentário
Pode te interessar