Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Fair

Geral Desafeto do papa na Igreja critica declaração sobre gays

Compartilhe esta notícia:

O papa Francisco afirmou que os homossexuais “têm o direito de ser parte de uma família”. (Foto: Divulgação)

Um dos principais desafetos do papa Francisco criticou nesta quinta-feira (22) suas declarações em defesa da união civil entre homossexuais, veiculadas em um documentário em cartaz na Festa do Cinema de Roma.

O cardeal Raymond Burke, expoente do clero ultraconservador nos Estados Unidos, disse em seu site que recebeu com “tristeza e preocupação” as palavras do líder católico sobre casais gays.

Não correspondem ao ensinamento da Igreja, como está dito na Sagrada Escritura e na Sagrada Tradição”, afirmou Burke, que já chegou a insinuar que Francisco é “herege” por causa de sua postura mais aberta em relação a homossexuais e divorciados.

Para o cardeal americano, são “preocupantes o tumulto, a confusão e o erro causados entre os fiéis” pelas palavras do Papa, “assim como o escândalo que provocam, dando a falsa impressão de que a Igreja Católica tenha tido uma mudança de rota”.

No documentário “Francesco”, de Evgeny Afineevsky, Jorge Bergoglio não propõe nenhuma mudança na doutrina católica e defende que o casamento se dá apenas entre homem e mulher. No entanto, Francisco afirma que os homossexuais “têm o direito de ser parte de uma família”.

Eles são filhos de Deus e têm o direito a uma família. O que é preciso fazer é criar a lei de união civil. Assim, eles são protegidos legalmente. Eu apoio isso”, diz o líder católico.

Embora não altere a posição da Igreja a respeito do casamento, a declaração é inédita para um papa, mesmo para Francisco, que já tinha defendido que gays e divorciados não podem ser excluídos da vida católica.

Aos 72 anos, Burke é o mais notório opositor declarado de Jorge Bergoglio e chegou até a insinuar que Francisco é “herege” por conta de sua decisão de permitir que paróquias liberem divorciados para comungar.

Além disso, o cardeal convocou um jejum contra o Sínodo da Amazônia, que propôs em 2019 a ordenação de homens casados na floresta, ideia depois rejeitada pelo Papa.

Mas Burke não é o único adversário declarado de Francisco no clero. Outro bispo dos EUA, Joseph Strickland, afirmou nesta quinta que as palavras do Papa sobre homossexuais são “perigosas e criam confusão”. “Existem forças do mal que gostariam de destruir a Igreja Católica”, declarou, em entrevista ao portal National Catholic Reporter. As informações são da agência de notícias Ansa.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Filho de senador flagrado com dinheiro na cueca, que assumirá a vaga do pai, deve mais de 1 milhão de reais para o governo federal
Confiança do comércio cresce 10,5% em outubro, diz a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo
Deixe seu comentário
Pode te interessar