Sábado, 29 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Colunistas Governo retoma busca de votos para aprovar pacote

Evento inicia às 14h30min e se estende até às 18h30min. (Foto: Banco de Dados)

O governador José Ivo Sartori retoma um tema que foi marcante no final de 2016: a busca da maioria de votos na Assembleia Legislativa para aprovar o amargo pacote de projetos. Além disso, a liderança do governo no Legislativo vem articulando o adiamento da votação dos projetos que estão na pauta, à espera das novas exigências contidas no projeto de negociação da dívida, que está na Câmara dos Deputados.

Base instável

A base do governo no Legislativo continua extremamente instável. Para o governo, nas votações mais desgastantes de 2016, faltaram votos do PP, do PDT e do PSB. No PDT, o governo nunca conseguiu contar com os sete votos da bancada trabalhista, mantendo em média quatro deles. Por esta razão, busca conquistar o apoio pontual do PTB em algumas das propostas, o que atenuaria a falta de outros votos.

Na pauta, o piso regional

Um teste importante para a Assembleia Legislativa, agora sob o comando do deputado petista Edegar Pretto, será a votação, na semana que vem, do reajuste do salário mínimo regional com vigência a partir de fevereiro deste ano. O projeto encaminhado pelo governador José Ivo Sartori (PMDB) prevê um reajuste de 6,48%, que segue o índice de aumento do salário mínimo nacional a partir de janeiro, contra o pedido das centrais sindicais, que pressionam por um reajuste de 10,45%.

Apoio e cargos

No meu comentário apresentado ao programa Pampa Bom Dia, sob o comando do Rafael Marconi, comentei que, se todos os deputados da base que indicaram cargos de confiança para o governo votassem com os projetos do Executivo, o governador não teria maiores problemas. Contabilizaria no mínimo, os 33 votos para aprovar as propostas mais difíceis, as emendas à Constituição que exigem 33 votos.

O veto a Fabiano

Uma outra dificuldade trazida por esta coluna passa agora a ser admitida publicamente por deputados da base do governo: a indicação pelo PSB do ex-deputado Fabiano Pereira para ocupar um cargo de primeiro escalão. O PSB quer colocar Fabiano Pereira na Secretaria de Justiça e Direitos Humanos.

Fabiano encontra resistência entre deputados que conviveram com a famosa CPI do Detran em 2008, que ele presidiu como deputado do PT e que foi marcada por um duro embate contra deputados do PSDB, PMDB e PP.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

DF vai abrir 3,2 mil vagas em presídios
Impasse no horizonte
Deixe seu comentário
Pode te interessar