Sexta-feira, 12 de agosto de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Tecnologia Seis funções irritantes do YouTube

Compartilhe esta notícia:

Recursos como vídeos recomendados, reprodução automática e exibição de anúncios são alvo de reclamações na plataforma. (Foto: Reprodução)

O YouTube é uma plataforma de compartilhamento de vídeos conhecida mundialmente. Lançada em 2005, a rede social cresceu bastante desde então e possui cada vez mais usuários inscritos e conteúdos publicados. Apesar da popularidade, o serviço apresenta ferramentas que são alvo de reclamações, como reprodução automática, vídeos recomendados e exibição de anúncios.

Apesar de incômodos, alguns recursos podem ser removidos ou desativados em poucos cliques. É o caso dos ajustes automáticos na qualidade do vídeo, da reprodução automática de miniaturas na página inicial e da remoção da contagem de dislikes. Confira uma lista com seis funções do YouTube que tiram os internautas do sério.

1. Reprodução automática

A reprodução automática é um recurso que reproduz vídeos continuamente, sem que os usuários precisem selecionar o próximo conteúdo quando o atual chega ao fim. A ferramenta está disponível em todas as versões do YouTube: web, TV e aplicativo para celulares Android e iPhone (iOS).

A principal reclamação dos internautas acerca da função corresponde ao tema dos vídeos sugeridos e reproduzidos automaticamente. É comum que o YouTube adicione à fila de reprodução conteúdos não relacionados ao tema do vídeo que está sendo assistido, o que torna o recurso incômodo.

2. Ajuste automático da qualidade do vídeo

Outra função considerada irritante pelos usuários do YouTube é o ajuste automático da qualidade do vídeo. Isso porque a plataforma regula a qualidade da imagem com base na velocidade da Internet, no tamanho da tela assistida e na qualidade do vídeo enviado originalmente. Sendo assim, ela pode variar de 144p – baixíssima resolução – a 1080p – resolução full HD – ou atingir valores maiores, no caso de vídeos 4K ou 8K.

Apesar de garantir que o usuário assista ao vídeo independente da qualidade de sua conexão, o mecanismo pode ser irritante quando o YouTube muda automaticamente a qualidade para uma opção inferior à capacidade de processamento da Internet. Para alterar a qualidade do conteúdo, o usuário precisa ir à barra de configurações e selecionar o valor desejado manualmente.

3. Vídeos recomendados

Assim como os vídeos sugeridos na reprodução automática da plataforma, as recomendações de vídeo do YouTube são alvo de críticas devido aos conteúdos apresentados. Em geral, os serviços online utilizam inteligência artificial para recomendar assuntos do interesse do usuário, o que não acontece no YouTube. A plataforma recomenda conteúdos com o objetivo de manter o internauta dentro do site, de maneira que ele gaste tempo lá.

Assim, vídeos virais e com altos números de visualizações são enviados aos usuários independente dos temas tratados. Isso torna a função bastante irritante para quem deseja consumir determinados nichos de conteúdo no YouTube.

4. Reprodução automática de miniatura de vídeos na home

A reprodução automática de miniaturas de vídeo na página inicial está disponível tanto no aplicativo para dispositivos móveis quanto na versão para desktop do YouTube. O recurso é considerado incômodo por usuários que não têm interesse em assistir a prévias de conteúdos aleatórios. Além disso, o mecanismo consome Internet, o que pode ser prejudicial para quem acessa o YouTube utilizando os dados móveis do celular.

Para desativar a função, basta clicar na imagem de perfil do usuário e seguir o caminho Configurações > Reprodução automática > Reprodução automática na guia “Início”. Na guia, é possível escolher entre as opções “Somente Wi-Fi” ou “Desativada”.

5. Exibição de anúncios

Poucos são os usuários que gostam de ter qualquer experiência online interrompida por propagandas. Não por acaso a exibição de anúncios está entre os recursos mais irritantes do YouTube. Os ads, que permitem às empresas fazer publicidade na plataforma, são exibidos tanto durante quanto antes do início do vídeo, como forma de “desbloqueá-lo”, irritando os espectadores.

Uma opção para evitar a exibição de anúncios é assinar o YouTube Premium, modalidade paga do serviço cuja assinatura custa R$20,90 por mês. Porém, existe uma maneira de se livrar das propagandas gratuitamente, a partir de uma mudança na URL: basta adicionar um ponto final após o domínio do site. Vale lembrar que esse truque funciona em diversos outros sites para além do YouTube.

6. Remoção da contagem de dislikes

Em novembro de 2021, o YouTube removeu uma das funções mais polêmicas e utilizadas por seus usuários: a contagem pública de dislikes. Os internautas ainda conseguem demonstrar seu descontentamento em relação ao conteúdo pressionando o botão, mas o número de dislikes é visível apenas para os donos das publicações.

A principal reclamação de quem consome conteúdos do YouTube é que, sem o número de dislikes, é difícil ter parâmetro para decidir se vale ou não a pena assistir ao vídeo. No entanto, é possível reverter essa atualização por meio de uma extensão do Chrome denominada “Return Youtube Dislike”. Para instalá-la, basta acessar a página inicial do navegador, acessar a aba “Extensões” e pesquisar seu nome.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Tecnologia

Documentário sobre Leila Diniz chega ao streaming
Dois anos após forjar a própria morte, fugitivo americano é encontrado na UTI para coronavírus de um hospital na Escócia
Deixe seu comentário
Pode te interessar