Quarta-feira, 01 de Abril de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Fair

Projeto RS Sustentável “Crescer não é necessariamente desenvolvimento, mas não existe desenvolvimento econômico sem crescimento” diz Antonio da Luz, economista-chefe do Sistema Farsul

Economista foi um dos painelistas do Fórum Desenvolvimento Econômico – Oportunidades e Financiamentos

Foto: Jorge Perassi

O economista Antonio da Luz participou como painelista do Fórum Desenvolvimento Econômico – Oportunidades e Financiamentos, apresentando métricas mundiais de desenvolvimento econômico de diversos países e que, comparativamente, posicionam o Brasil e suas regiões em colocações que revelam o quanto ainda falta para avançar em desenvolvimento. Por exemplo, “somos um dos piores países na abertura de empresas, bem como para conseguir alvarás, com apenas 14 superando o Brasil, de um total de 184”.

Segundo o economista, quando olhamos as métricas traçadas pelos organismos internacionais, fica claro que para ter desenvolvimento basta seguir os indicadores. No cenário local, o RS está ficando para trás. “Quando olhamos no contexto do Estado e de outros países, percebemos o quanto estamos longe”. O RS é o 18º em infraestrutura, o 5º em telecomunicações, o 8º em energia, o 19º em combustíveis, o 27º em saneamento, o 8º em voos diretos, o 20º em qualidade energética, o 8º em rodovias. Em potencial de mercado, o RS é o 15º, Roraima é o 1º, São Paulo o 2º e Pará o 7º.

No item potencial da força de trabalho, o RS aparece como último colocado, o que quer dizer, na visão do economista, “que somos um Estado que já envelheceu. Somos o 10º em taxa de crescimento”.

Em inovação, o RS é o 2º, mas o 5º em bolsa de estudos em investimentos empreendedores. Em sustentabilidade social, o Estado gaúcho aparece na 3ª colocação e Santa Catarina na 1ª. No acesso a esgoto estamos no 6º lugar, em desigualdade de renda, somos o 12º. Em termos de desenvolvimento ambiental, somos o 15º, em coleta de lixo o 14º e em tratamento de esgoto o 20º.

Antonio da Luz salienta que “o pilar do desenvolvimento é a educação e nós, que já fomos o primeiro nesta categoria, hoje somos o 11º”. Segurança pública é outro item fundamental para o desenvolvimento e o RS ocupa a 16ª posição em segurança patrimonial, a 26ª em justiça criminal, a 8ª em segurança pessoal e a 5ª em segurança pública. “Precisamos de quatro gaúchos para fazer o que um alemão faz em produtividade de trabalho”. Segundo o economista, entre outros dados, o RS está na 23º posição no item investimentos do Governo, ou seja, “o Brasil não investe há 11 anos o que os bancos de fomento investem em um”.

O economista reitera que “crescer não é necessariamente desenvolvimento, mas não existe desenvolvimento econômico sem crescimento. Temos que focar em resultados. Desburocratizar é urgente porque é aí que está o nosso atraso. Não temos prazer em mostrar estes dados, mas temos a consciência de que precisamos discuti-los, senão, o legado será o atraso e não é nada disso que nós queremos”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Projeto RS Sustentável

“A gente tem que construir ações financeiras adequadas a cada setor da economia” diz Luiz Corrêa Noronha, vice-presidente do BRDE
“Esforços para a captação de investimentos” diz Camila Carvalho Costa, chefe do Departamento de Relações Governamentais do BNDES
Deixe seu comentário
Pode te interessar